Barra de Vídeo

Loading...

30 abril, 2010

TODOS PRECISAMOS DUMA BUSSOLA...


     Uma vez, os guardas de uma prisão próxima do deserto trouxeram para a rua um prisioneiro e disseram-lhe:
     — És livre. Vai e que sejas feliz.
     O homem livre vagueou sem rumo e foi parar ao deserto. Aí encontrou um Sábio que lhe disse:
     — Vejo que andas um pouco desorientado. Dou-te esta bússola. Servindo-te dela, poderás chegar a um oásis que fica aqui perto e depois a uma cidade onde há muita vida e onde poderás ser feliz. Boa viagem!
     O homem pensou: «Eu agora sou livre e este estranho quer impor-me um caminho e uma meta. Não aceito! Quero ser livre!». E atirou a bússola para longe.
     Aconteceu que este homem desnorteou-se de tal maneira que, depois de muito vaguear pelas areias do deserto, acabou por morrer. Foram encontrados mais tarde os seus ossos ressequidos.
     Um ano depois, os guardas libertaram um outro prisioneiro. O Sábio também lhe deu uma bússola e as mesmas orientações:
     — Tens aqui uma bússola. Segue-a pois terás de atravessar um deserto. Mas, se te deixares nortear por ela, chegarás a uma linda cidade cheia de vida. Vai e sê feliz.
     Este segundo prisioneiro, ao contrário do primeiro, seguiu as orientações. A bússola ajudou-o a percorrer o caminho que o levou à terra onde poderia viver feliz.
     Conseguiu passar por alguns oásis, onde matou a sede e descansou. Finalmente, chegou à tão desejada meta: a bela cidade onde podia viver feliz.
(Desconheço autor)
Para reflectir: utilizamos na vida alguma "bússola" (conselhos amigos, oração, meditação, reflexão, Bíblia, livros de formação integral…) para nos indicar o caminho da felicidade? Quais são os valores e os ideais que nos norteiam na vida?

19 abril, 2010

O mestre e o escorpião


Um mestre do Oriente passeava junto ao rio, quando viu que um escorpião se estava a afogar e decidiu tirá-lo da água; mas quando o fez, o escorpião picou-o. Numa reacção instintiva à dor provocada pela picada, o mestre largou o animal que voltou a cair à água e rapidamente se estava a afogar. O mestre tentou novamente salvá-lo, mas voltou a ser picado.

Alguém que estava a observar a cena aproximou-se do mestre e disse-lhe: "Desculpe-me, mas o senhor é teimoso! Não entende que todas as vezes que tentar tirá-lo da água ele irá picá-lo?"

O mestre respondeu: "A natureza do escorpião é picar, e isto não vai mudar a minha, que é ajudar”. Então, com a ajuda de uma folha, o mestre tirou o escorpião da água e salvou a sua vida.
Autor desconhecido

14 abril, 2010

A Porta do Coração



Certa vez um homem havia pintado um lindo quadro. No dia da apresentação ao público, convidou várias pessoas para ver a obra. Compareceram as autoridades locais, fotógrafos, jornalistas, enfim, uma multidão. Afinal, o pintor além de um grande artista era também muito famoso. Chegado o momento, tirou-se o pano que revelava o quadro. Houve um caloroso aplauso! Era uma impressionante figura de JESUS batendo suavemente à porta de uma casa. Com o ouvido junto à porta, ELE parecia querer ouvir se lá dentro alguém respondia. Houve discursos e elogios. Todos admiravam aquela obra de arte. Porém, um curioso observador, achou uma falha no quadro. A porta não tinha fechadura. E intrigado, foi perguntar ao artista...
- Sua porta não tem fechadura?
- Como se fará para abri-la?
- Perguntou o admirador.
Respondeu-lhe o artista:
- É assim mesmo!...
Esta é a porta do coração humano, só se abre pelo lado de dentro.
 



Autor desconhecido

13 abril, 2010

COMO AS ÁRVORES


Uma árvore não fica de costas para ninguém. 
Dê a volta em torno dela , e a árvore estará sempre de frente para você ...
OS VERDADEIROS AMIGOS TAMBÉM ...
Dizem os chineses: árvore plantada com amor, nenhum vento derruba!
UMA VERDADEIRA AMIZADE, TAMBÉM!
Quem planta árvores, cria raízes.
Quem cultiva bons amigos, também!
As árvores, como os amigos, produzem beleza para os olhos e ouvidos, na mudança sutil de suas cores.
A árvore é sombra protetora, como os amigos; sombra que varia com o dia, que avança e faz variados rendados de luz semelhantes à estrelas ...
As árvores são sinônimo de eternidade ...
... e uma verdadeira amizade também é para sempre !!
(Autor desconhecido)

12 abril, 2010

VIVER COMO AS FLORES


Em um antigo mosteiro budista,
um jovem monge questiona o mestre ...
Mestre, como faço para não    me aborrecer?
Algumas pessoas falam demais,  outras são ignorantes.
Algumas são indiferentes.
Sinto ódio das que são mentirosas.
Sofro com as que caluniam.
- Pois viva como as flores!      
- advertiu o mestre.
- Como é viver como as flores? - perguntou o discípulo.
Repare nas flores, continuou o mestre, apontando os lírios que cresciam no jardim.
Elas nascem no esterco, entretanto, são puras e perfumadas.
Extraem do adubo malcheiroso tudo que lhes é útil e saudável...
...mas não permitem que o azedume da terra  manche o frescor de suas pétalas.
É justo angustiar-se com as próprias culpas,
mas não é sábio permitir que os vícios dos outros o importunem.
Os defeitos deles são deles e não seus.
Se não são seus,  não há razão para aborrecimento.
Exercite, pois, a virtude de rejeitar todo mal que vem de fora.
Isso é viver como as flores.
(Autor desconhecido)

07 abril, 2010

"... a sua sensibilidade"

Eu peregrino. Ele, o Caminho


Eu peregrino. Ele, o caminho
Eu, a pergunta. Ele, a resposta
Eu, a sede. Ele, a fonte
Eu, as trevas. Ele, a luz
Eu, o pecado. Ele, o perdão
Eu, a luta. Ele, a vitória
Eu, o inverno. Ele o sol
Eu, o doente. Ele, o milagre
Eu, o grão de trigo. Ele, o pão
Eu, a procura. Ele, o endereço
Meu passado e meu presente em suas mãos
Meu futuro todo dele
Eu, no tempo... e Cristo a eternidade
(A.D.)

Recebi esta linda mensagem por e-mail e compartilho com todos vocês, meus amigos.
Desejo-vos um feliz tempo Pascal. 



O POTE RACHADO

"Havia na Índia um carregador de água que transportava – em ambas as pontas de uma vara que levava atravessada no pescoço – dois potes grandes de barro.
Um dos potes tinha uma racha e o outro era perfeito.
O pote perfeito chegava sempre cheio ao final do longo caminho que ia do poço até à casa do patrão.
Mas o pote rachado chegava apenas com metade da água.
E assim, durante dois anos, o carregador entregou diariamente um pote e meio de água em casa do seu senhor.
O pote perfeito, é claro, estava orgulhoso do seu trabalho.
O pote rachado, porém, estava envergonhado da sua imperfeição. Sentia-se miserável por apenas ser capaz de realizar metade da tarefa a que estava destinado.
Depois de perceber que, ao longo de dois anos, não tinha passado de uma amarga desilusão, o pote disse um dia ao homem, à beira do poço:
- Estou envergonhado e quero pedir-te desculpa. Durante estes dois anos só entreguei metade da minha carga, porque a minha racha faz com que a água se vá derramando ao longo do caminho. Por causa do meu defeito, tu fazes o teu trabalho e não ganhas todo o salário que os teus esforços mereciam.
O homem ficou triste com a tristeza do velho pote, e disse-lhe com compaixão:
- Quando voltarmos para casa do meu senhor, quero que repares nas flores que se encontram à beira do caminho.



De facto, à medida que iam subindo a montanha, o pote rachado reparou em que havia muitas flores selvagens à beira do caminho e ficou mais animado.
Mas no final do percurso, tendo-se vazado mais uma vez metade da água, o pote sentiu-se mal de novo e voltou a pedir desculpa ao homem pela sua falha.
Então, o homem disse ao pote:
- Reparaste em que, ao longo do caminho, só havia flores de teu lado? Reparaste também em que, quando vínhamos do poço, todos os dias, tu ias regando essas flores? Ao longo de dois anos, eu pude colher flores para ornamentar a mesa do meu senhor. Se tu não fosses assim como és, ele não poderia ter essa beleza para dar graça à sua casa."


Afinal talvez por onde passamos ainda consigamos fazer despontar um sorriso, secar uma lágrima. Se calhar ainda temos um caminho a percorrer.

Dêmos as mãos e continuemos.